Fator de risco para o Alzheimer: doença cardíaca

Categoria: Cuidados Pessoais

Segundo os cientistas, existiria uma maior evidência de que muitos problemas cardiovasculares podem conduzir à doença de Alzheimer, e defendem que tratar o coração poderia ajudar a proteger o cérebro.

Yan Deschaintre, pesquisador principal, neurologista e pesquisador do Hospital Regional Universitário de Lille, França, assegurou que os diversos resultados obtidos depois das investigações “oferecem a esperança de que as intervenções com fármacos bem conhecidos possam interferir no avanço da doença” .

Conforme os testes, um grupo de pacientes se manteve moderado por aproximadamente mais de 36 meses pois receberam tratamentos para problemas cardiovasculares e doenças neurológicas.

No entanto, aqueles pacientes que sofrem de Alzheimer que por sua vez tinham problemas vasculares, mas que não receberam estes medicamentos ocorreu declives na cognição (que chegou a atingir o nível mais alto e grave).

De  acordo com o National Institute on Aging, cerca de 4,5 milhões de estadunidenses têm a doença de Alzheimer: as taxas cresceram de forma sustentada com a idade e os experientes estimam que cerca da metade dos que têm 85 anos ou mais poderiam ter a doença.

O tratamento definiu-se como “receber um medicamento anti-hipertensivo, fármacos ou insulina para reduzir a glicemia, uma estatina para reduzir os níveis de colesterol ou anticoagulantes”. Os pacientes de Alzheimer recebem em geral medicamentos que buscam aliviar temporariamente seus sintomas.

alzheimer

Leia também os artigos Relacionados

  • O mal de Alzheimer
  • Alimentos bons contra o Alzheimer
  • Os perigos para o coração
  • Prevenção de doenças cardiovasculares
  • A gordura abdominal e o câncer de cólon em homens e mulheres
  • Deixe o seu Comentário